segunda-feira, 2 de abril de 2012

OSQ ENTREVISTA | RENAN LIMA

Autor: Rubens Junior | Facebook | Twitter


Há um tempo atrás, vi uma tira de apenas dois quadros, mas bem chocante, rodando na internet. No primeiro quadro, uma moça diz ao rapaz: "Estou grávida, amor!!! Grávida de um menino!" No quadro seguinte, o rapaz arrebenta a face da moça com um soco, dizendo: "Vadia pedófila!"


Três coisas nesta tira me chamaram muita atenção:
  1. O clássico humor negro que, além de meio raro hoje em dia, foi adaptado não só um, mas dois assuntos extremamente polêmicos: pedofilia e violência contra mulheres.
  2. O duplo sentido achado numa frase que ouvimos diariamente ("grávida de um menino") em filmes, novelas, na vida real, etc, mas ninguém nunca havia sacado;
  3. A agressividade visual da imagem.
Logo fui pesquisar quem era esse audacioso, porém criativo autor. Talvez seja só uma arte feita para divulgar apenas aquela idéia, mas talvez haja muitas outras preciosidades de onde veio aquela tira.

Facilmente encontrei o autor em seu blog oficial, e tudo aquilo que havia me impressionado naquela primeira tira, como o humor negro, o duplo sentido e agressividade visual, encontrei numa gama muito maior, em muitas outras artes, charges e tiras. Muita nudez, palavrões e violência, mas também muita criatividade, excelentes ilustrações, conteúdo inteligente, muito talento artístico.

Tantos trabalhos audaciosos resultaram numa chuva de comentários extremamente divergentes em cada uma das postagens, provenientes de fãs que o amam, e público que o odeia. De qualquer forma, suas artes estão rodando a internet, gerando muitos acessos, comentários, causando polêmica, sendo copiadas (já vi até esta mesma arte da "pedofilia" sendo usada por americanos, em outro contexto, com textos alterados) e, bem ou mal, o autor e sua arte estão sendo divulgados, pois uma coisa ninguém nega: seu talento.


O nome dele é Renan Lima. Um paulista de 24 anos, ilustrador autodidata, que concilia o blog com outros trabalhos e estudos. Acabei entrando em contato e nos tornamos webfriends (um termo que inventei para me referir a camaradas que só conheço pela net, ainda). Renan é um dos artistas que colaborou com nosso Mural de Aniversário. Ele está lançando sua nova hq e fiz questão de entrevista-lo para que ele mesmo apresentasse e explicasse seu trabalho. Confira a seguir:


OSQ ENTREVISTA RENAN LIMA

OSQ 1 - Renan, há quanto tempo você desenha e há quanto tempo você expõe ao público geral este trabalho mais forte, mais "agressivo"?
Cara, a resposta é aquele velho clichê de desenhista, mas é a verdade: desenho desde sempre. Tenho uma antiga memória de meu padrinho trazendo calhamaços de folhas matriciais usadas que iriam para o lixo. De um lado, um monte de números e blá, blá, blá. Do outro, eu enchia de rabiscos, caminhões, homens palito e outras coisas. Depois comecei a ler HQs, que logo se tornaram minhas referências. Durante muito tempo, houve muito do Greg Capullo no meu traço. Eu copiava tudo! Com o tempo e prática a coisa evoluiu naturalmente. Em 2010 surgiu a ideia do blog, principalmente para me forçar a desenhar mais, a manter um ritmo, e também para escoar algumas ideias que me surgiam o tempo todo. Não esperava tanto acesso, muito menos que tanta gente ia curtir. A inserção de nudez, palavrões e violência é relativa. A arte tem certas liberdades, e não insiro nada disso gratuitamente. Se está lá, é porque foi necessário para a arte ou para a piada.


OSQ 2 - Obviamente, como o rapaz inteligente que suas artes denunciam que você é, você sabe que não escolheu um caminho mais "popular", não escolheu o "meio termo", e escolheu o caminho mais "porrada" mesmo, deixando explícitas suas idéias e críticas, doa a quem doer. Por que você escolheu este caminho?
Na internet tenho maior liberdade de abordar alguns assuntos, usar palavrões, ângulos, e aquilo tudo que se vê no blog, o que é ótimo, e a repercussão tem sido maravilhosa. Mas quando tenho um cliente, um contrato, um editor, enfim, trabalho dentro da linha editorial que me é apresentada. Se houver liberdade ela será aproveitada, se houver limite, ele será respeitado. De qualquer forma, a arte e as ideias do blog são apenas uma vertente da minha criação artística total, minha produção vai muito além. E por fim, infelizmente, todo artista encontra certa dificuldade para ter sucesso no Brasil. Ainda hoje você conta nos dedos aqueles que são conhecidos pelo grande público. O caminho de vários artistas tem sido fazer sucesso lá fora, para então ter reconhecimento aqui. Mas ok, já foi pior.



OSQ 3 - Devido a esta falta de "meio termo" das suas charges e tiras, os comentários do seu blog "Dentro da Caveira" se baseiam praticamente em apenas 2 gêneros: aqueles que adoram seu trabalho e querem que você publique cada vez mais artes, e aqueles que odeiam, consideram "humor de mau gosto", e até te insultam. Percebi que você é sempre educado nas respostas a todos os comentários, mas o que você sente? Como você lida particularmente com amor e ódio do seu público?
Certa vez li como os Beatles, o Led Zeppelin, o Black Sabbath e outras bandas legais usavam a ira que despertavam nos religiosos e conservadores para benefício próprio. As igrejas compravam discos do Sabbath e do Zeppelin para reproduzi-los ao contrário nos cultos e evidenciar supostas mensagens satânicas escondidas. Percebe? Mesmo os haters compravam discos! Haha... É assim que encaro. Meu público hoje não é apenas quem curte meu trabalho, mas também quem odeia, e que geralmente são os bundas-moles do politicamente correto. Eles ajudam bastante na promoção. Adoro ler os xingamentos, me divertem muito. E sou muito grato por cada elogio.


OSQ 4 - Independente da reação do público geral, ele é apenas o público geral. Como é a relação da sua família com seu trabalho? Mãe, pai, irmãos, namorada, como os mais íntimos lidam com sua arte? Eles curtem, apoiam, preferem nem ver, preferiam que você desenhasse Turma da Mônica?
Haha... Eu AMO a Turma da Mônica! Tenho enorme admiração tanto pelo Maurício quanto pelos personagens. Seria uma honra um dia desenhá-los. Ah, o pessoal mais próximo tá bem acostumado. Eu sempre falei bobagem, a diferença é que comecei a desenhá-las pra internet. Bom, minha mãe, talvez, gostaria que eu desenhasse menos pornografia. Tenho sobrinhos pequenos que acabam não vendo tudo também, se bem que nunca criei nada mais amoral do que qualquer cena de novela. Mas em geral, eles acham tudo lindo, meigo e fofucho.



OSQ 5 - Apesar de ilustrar imagens "chocantes", é inegável seu grande talento não só nas ilustrações, mas principalmente, nas sacadas extremamente criativas das charges e tiras, muitas vezes envolvendo caricaturas perfeitas de personalidades. A inspiração obviamente vem das situações do cotidiano, mas de onde você acha que veio este "talento para as sacadas"? Você acompanha tiras de jornais, revistas, quais os cartunistas nos quais você se inspira?
Não acompanho tiras de jornais nem de revistas porque alguns dos cartunistas que publicam atualmente não me interessam. Acho alguns bem ruins. Já aqueles que admiro, costumo acompanhá-los na internet, em seus blogs, onde tem maior liberdade. Cara, hoje, os melhores ilustradores e cartunistas estão na internet, e muitas vezes desconhecidos pelo grande público. Quanto às sacadas eu acho que não sei bem explicar, é meio natural. Gosto de incitar o questionamento, o pensamento crítico. Algumas pessoas veem apenas a obscenidade e o humor negro do blog, mas a inserção de uma crítica real em cada tira é sempre uma preocupação minha, e felizmente, acho que a grande maioria saca, por isso compartilham tanto.

  
OSQ 6 - Você está lançando uma revista em quadrinhos que, pelo título, já denuncia sua identidade pelo duplo sentido. Fale um pouco sobre este trabalho. Como nasceu o projeto, qual a inspiração, por que resolveu fazer a hq, e não continuar apenas com as artes pelo blog?
Surgiu a oportunidade de preencher algumas páginas na Revista Offline, então criei o personagem. Mas já o idealizava antes. É meu primeiro personagem e tô bem empolgado! Foram muitas as inspirações, desde séries policiais antigas, filmes noir, até Tin Tin e a antiga série animada do Inspetor Bugiganga. Também o Ed Mort, Dick Tracy, o clipe de Sabotage, dos Beastie Boys, Riders on the Storm, dos Doors, minha fixação por corujas e algumas coisas mais obscuras. O personagem, o detetive Décio Bráulio, é um paulistano de meia idade, durão, meio paranoico, solitário, meio grossão às vezes, mas divertido e competente. Faz o que tem que fazer da forma que acha correto fazer. Tem sido divertidíssimo criar personalidades e histórias. Às vezes me pego pensando em como o detetive Décio Bráulio reagiria em determinada situação que eu mesmo me encontro. Locura, véi! Locura doida.


OSQ 7 - Onde e quando será o lançamento desta hq, haverá um evento fechado ou para o público geral? Como é possível adquiri-la e qual o custo?
Não farei lançamento, mesmo porque não é um lançamento de uma revista minha. A aventura do detetive Décio Bráulio será encartada na Revista Offline, uma publicação muito legal dirigida ao público jovem, editada e produzida com muita competência e distribuída principalmente em grandes universidades de São Paulo. O mais legal: é gratuita! Não será mensal, a princípio serão quatro páginas em duas edições e só. Mas tudo incerto ainda. Ou não. Talvez.


OSQ 8 - Resumidamente, como é sua vida hoje? Qual a rotina do seu trabalho, dos seus estudos, no blog, etc?
Divido o tempo tanto quanto dá. Tento encontrar tempo para pintar telas também, porque adoro. Eventualmente fico bêbado com os amigos. Tenho feito natação. Tô nessas de corpo e mente forte. Eye of the Tiger! Haha... Gostaria de aprender Le Parkour.


OSQ 9 - Qual é seu foco como artista a longo prazo? Como gostaria que fosse seu trabalho, seu emprego, daqui há uns 10 anos?
Pô, tensa essa pergunta, cara! Eu realmente gostaria de realizar uma exposição um dia, seja com minhas tiras ou minhas telas. Eu gostaria de lançar quadrinhos autorais por uma editora legal, com uma distribuição legal. Tenho sete projetos de histórias e em diversos estilos, dentre humor, drama, aventura. Só do detetive Décio Bráulio já tenho material para um livro inteiro de quadrinhos. Criei uma aventura bem ampla, cheia de personagens, mistério, ação, locais, reviravoltas, enfim. A publicação do personagem na revista Offline, a princípio, é limitada e curta, então ainda preciso pensar algumas coisas. Mas dará pra ter uma boa ideia. Ah, desenhar a Turma da Mônica seria sensacional também.
OSQ 10 - Mande sua mensagem final!
Tonight? We make soap.


E é isso. Se curtiu, confira mais artes do Renan em seu blog oficial ;-)

5 comentários:

  1. Adoro ele! É genial!

    ResponderExcluir
  2. Muito bacana a entrevista :) me incentivou a continuar desenhando e procurar melhorar sempre. Boa sorte em sua jornada, Renan e espero, um dia, poder ler as aventuras do Décio Bráulio

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela bela entrevista feita...com certeza Renan terá um ótimo futuro como desenhista e o apoio que vcs dos OSQ é essencial. Parabéns e uma grande abraço

    ResponderExcluir
  4. Eu já tinha visto o blog dele e achei muito bom, ri muito com a tira da pedófila haha.
    O ruim é que pensei que tinha salvado nos favoritos e não lembrava o nome!
    Agora encontrei a salvação hehe.
    Muito boa a entrevista!

    ResponderExcluir
  5. Puxa... Fico super feliz de ver que está sendo reconhecido... Parabéns Renan... Quero ver você ir longe hein...
    Ana Mara

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...