segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

CONAN | A ARMADURA DE ZUULDA THAAL

Autor: Rubens Junior | Facebook | Twitter




TÍTULO: A ESPADA SELVAGEM DE CONAN O BÁRBARO
PUBLICAÇÃO: 1991
EDIÇÃO: 78
ROTEIRO E ARGUMENTO: MICHAEL FLEISHER
ILUSTRAÇÃO: JOHN BUSCEMA
ORIGEM: EUA
LICENCIADOR: MARVEL COMICS
EDITORA: ABRIL
CATEGORIA: EDIÇÃO ESPECIAL
GÊNERO: SUPER-HERÓIS
PÁGINAS: 76
FORMATO: 21 X 27,5 CM
PRODUTO: PB/LOMBADA COM GRAMPOS

A Espada Selvagem de Conan, ed. 78 apresenta minha história preferida do cimério. Embora seja difícil dizer qual é a melhor história deste volume, pois estamos falando de Conan, um herói bárbaro (nos 2 sentidos.. rs), representado por roteiristas e ilustradores renomados, na raridade da arte pb (onde ilustradores ruins passam longe), cercados por uma legião de fãs extremamente criteriosos. Mas meu voto vai para esta edição, especificamente para esta história: A ARMADURA DE ZUULDA THAAL.

  • ROTEIRO E ARGUMENTO - Sério. Eu já li esta história várias vezes. A primeira, quando eu comprei a revista em 1991 e, a última, 2011. Sempre que leio, é como se estivesse vendo um filme. Vendo, ouvindo, tudo em movimento. Não há muitas reviravoltas no roteiro. Isso deixou espaço para que suas etapas fossem bem trabalhadas, com detalhes. Conan destrói muitos inimigos nesta história, porém, o pior deles, é aquele que se mostrava mais inofensivo. O que mais curti é que mostrou claramente que a maior virtude do cimério vai além de sua espada, músculos e cérebro: Ele não leva desaforo pra casa. No primeiro filme da série, Conan - O Barbaro, isso fica bem claro. Ele passa o filme inteiro em suas aventuras, mas sempre em busca de um acerto de contas. Ele não esquece e não deixa passar. E é nestes momentos de vingança que ele se torna mais bárbaro. Se levassem esta história da Armadura para o cinema na época do Arnold S. com a tecnologia de hoje... (sonho meu...).
  • ILUSTRAÇÃO - John Buscema. Precisa dizer mais?

Eu odeio quando fazem várias histórias dentro da mesma revista, como acontecia nas Superaventuras Marvel. Mas quando são todas do mesmo personagem, eu adoro! Mesmo tendo uma história principal, as outras histórias eram sempre com artistas novos. Alguns bons, outros péssimos, mas a gente ia curtindo novos horizontes do herói. Por isso eu curtia muito colecionar as revistas do Conan e curti até a fase do Conan Rei (colorido.. uau!). Só parei quando o nível de ilustração foi caindo e chegou ao nível de hoje: capas lindas, conteúdo fraco. Então este post fica na homenagem da era de ouro de Conan, e seus artistas excepcionais.

Um comentário:

  1. Fala Junior!

    Que legal seu blog cara, parabéns. Na verdade veio a calhar, estou afim de me aprofundar nesse mundo das HQs e você está me dando o caminho!

    Vou colocar um link pro seu blog no meu. Acessa lá, http://3doo.blogspot.com

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...